Foto: Divulgação

Depois de ser “resgatada” em 2016 pela Honda, quando a Africa Twin voltou com seu nome de sucesso em décadas passadas, a aventureira ganha agora a sua 2ª geração desta nova fase: a CRF 1100L foi lançada em 2019 na Europa como a sucessora da CRF 1000L.

O modelo chegará ao Brasil? A lógica diz que sim, porque é a renovação natural da moto em todo o mundo, mas ainda não se pode precisar quando; ainda mais pela crise de coronavírus. No entanto, o G1 experimentou a CRF 1100L Africa Twin (sim, esse é o seu nome completo) antecipadamente na Itália, em novembro de 2019, antes do início da pandemia.

A versão avaliada foi a topo de linha Adventure Sports equipada com a evolução do câmbio de dupla embreagem da fabricante japonesa, que faz trocas de marchas automáticas; mais conhecido como câmbio automatizado nos carros.

O chamado “Dual Clutch Transmission” (transmissão de dupla embreagem, em português) pode, à primeira vista, parecer uma escolha duvidosa para uma aventureira, porém, bastam alguns quilômetros rodados para que essa ideia desapareça.

Apesar desse “spoiler”, a explicação para isso estão nos relatos seguintes dos mais de 300 quilômetros percorridos com a moto.

Principais novidades da Africa Twin 1100

  • Motor de 2 cilindros passou de 998 cc a 1.084 cc;
  • Potência subiu de 95 cv a 102 cv (versão europeia);
  • Torque foi de 10 a 10,7 kgfm;
  • Chassi renovado;
  • Peso ficou 5 kg mais leve, com 226 kg na versão standard e 240 kg na Adventure Sports;
  • Ergonomia revisada;
  • ABS com atuação em curvas;
  • Controle de anti-wheeling;
  • Painel tátil de 6,5 polegadas com conexão ao CarPlay.

Deixe um comentário