Foto: Divulgação/Caio Mattos

Agosto marca a chegada da nova nota de R$ 200. É também neste mês que o Honda Civic Si começa a ser vendido pelas concessionárias da marca japonesa. Pode não parecer, mas eles têm suas semelhanças.

Mesmo sem ter entrado em circulação, não é preciso ser nenhum guru para saber que a cédula do lobo-guará será presença rara na carteira de grande parte dos brasileiros. Da mesma forma, o Civic Si habitará pouquíssimas e seletas garagens.

São necessárias 900 notas de R$ 200, ou R$ 179.900, para levar o esportivo para casa. Há 2 anos, quando o Si anterior foi lançado, seu preço era R$ 20 mil mais em conta.

Espécies em extinção

Além disso, o lote importado do Canadá é composto por apenas 30 exemplares. Quando eles acabarem, só ano que vem. Mas, além de serem sonhos distantes para muita gente, tanto o esportivo como a nova nota do real já podem ser considerados espécies em extinção.

Notas de dinheiro têm sido cada vez menos utilizadas mundo afora. A Suécia, por exemplo, primeiro país a ter papel-moeda, decidiu que só aceitará meios eletrônicos de pagamento a partir de 2023.

No universo dos carros, exemplares com câmbio manual, assim como o do Civis Si, também têm se tornado mais raros, mesmo entre os esportivos.

É exatamente essa resistência que faz do Honda encantador. Ele é o único carro com carroceria cupê de 2 portas com transmissão manual à venda no Brasil.

Outra parcela do encanto é proporcionada pelo 1.5 turbo que habita o cofre dianteiro. Esse motor usa a mesma base do propulsor do próprio Civic Touring e também do HR-V Touring. Só que ele é preparado para entregar doses extras de potência e torque.

São 208 cavalos, disponíveis a 5.700 rotações por minuto e 26,5 kgfm de torque, entregues integralmente entre 2.100 e 5.000 rpm. Nesse aspecto, o Si segue exatamente igual ao modelo anterior.

Deixe um comentário